O que fazer em Budapeste? [Roteiro de 3 Dias]

Mafancy TV, Viagem

Hey fancies viajantes! Esse ano resolvi comemorar meu aniversário da melhor forma possível: viajando para um lugar novo. 😉 O destino escolhido foi Budapeste, na Hungria, e não podia ter sido mais perfeito! Toda a bagunça de sempre vocês conferem nos vlogs no final do post (filmei tudo e vou postar em 2 vídeos). Mas resolvi compartilhar aqui também o roteirinho que fiz para esses 3 dias em Budapeste.

Claro que durante a viagem muita coisa mudou de ordem (principalmente por causa da chuva) e outras foram surgindo (sempre deixo minhas viagens abertas ao improviso!), então vou postar aqui a “versão original”. Vale ressaltar que ela também foi feita pensando na localização do nosso hotel e horário dos nossos voos, mas claro que vocês podem adaptar! Enfim, se você é um fancy e estava se perguntando o que fazer em Budapeste, com certeza essa é a resposta! Espero que gostem 😉

post-buda

DIA #1

  • Hosök Tere (Praça dos Heróis) – é onde fica o Monumento do Milênio, composto pelas estátuas dos reis e outros nomes importantes da história política da Hungria. A praça fica no final da avenida Andrássy (onde ficamos hospedadas), e na frente de um parque lindo (o City Park), onde fica a próxima parada.
  • Vajdahunya Castle – um dos castelos românticos de Budapeste, foi construído em 1896. Lá acontecem muitas exibições, festivais e concertos. Eu visitei apenas a parte externa, que fica aberta até meia-noite e é gratuita.
  • Gerbeaud – o café mais antigo de Budapeste, funciona desde 1858. O lugar é lindo e cada doce mais delicioso que o outro! Eu pedi a Gerbeaud Pancake, que é uma panqueca recheada de creme de nozes, com calda de chocolate, sorvete de baunilha e acompanhada por um ragout de damasco. Estava ótima! Assiste a parte 2 do vlog pra ver o que minhas amigas pediram também 🙂
  • O Gerbeaud fica na Praça Vörösmarty, que também têm várias lojinhas e restaurantes, para quem quiser jantar – DICA: os pratos com páprica são uns dos mais tradicionais da cidade! E quando visitei Budapeste essa praça estava recebendo uma feirinha de Natal, com várias barraquinhas de comida, artesanato, e até palco tocando músicas típicas.
  • Szimpla – um dos mais famosos “Ruins Bars” (bares nas ruínas) da cidade. Eu ADOREI o lugar! É bem grande e têm vários ambientes diferentes. Desde palco para shows, uma parte com DJ, outras partes mais calmas com lugares para sentar, um wine bar para pedir vinho, uma outra parte vendendo shisha (que no Brasil chamamos de narguile). Enfim, muita opção! A decoração é bem estilosa, misturando o antigo das ruínas com elementos mais modernos. Bem divertido e vale a pena!

DIA #2

  • Terror Háza (Museu Casa do Terror) – um museu sobre o Nazismo na Hungria muito interessante e que vale a pena a visita! O museu é bastante moderno e sensorial, você realmente consegue imergir na história. Saímos de lá super sensibilizadas, já que o Nazismo é uma das coisas mais brutais e tristes que aconteceram no mundo… E vê os depoimentos de quem viveu isso é muito forte. O ingresso custa 2000 dinheiros de Budapeste, que equivale mais ou menos a uns 5 euros.
  • Buda Castle – um dos castelos mais lindos que já vi (e maiores!), com vista para o Rio Danúbio. A subida é intensa, e pode ser feita a pé ou pelo funicular. Você pode visitar toda a parte externa que é linda gratuitamente, ou conhecer os museus e restaurantes lá por dentro. Só clicar no nome sublinhado para ir ao site e conhecer as opções. DICA: prepara a câmera que as fotos são DEMAIS! Com vista para a ponte principal da cidade, o rio, o Hotel Four Seasons… A cidade toda!
  • Depois do castelo, voltamos andando para atravessar a Ponte Széchenyi Lánchíd (a principal da cidade, citada acima), que atravessa o rio Danúbio entre Buda e Peste, os lados ocidental e oriental de Budapeste.
  • Vintage Garden – nosso almoço foi num restaurante lindo e delicioso que já estava seguindo no Instagram desde que comprei as passagens pra Budapeste! No vlog vocês vão ver o quão gracinha, fancy e fotoígrafável ele era hahahah. Lá experimentei a tradicional sopa Goulash (preparada com carne, verduras e muuita páprica) que estava maravilhosa, e ainda dividimos um ravioli de pato que foi o ponto alto da culinária na viagem (pro meu paladar hahaha)!
  • The Sweet by Vintage Garden na hora da sobremesa, fomos conhecer o vizinho The Sweet, que também é do Vintage Garden. Porta com porta com o restaurante e cheio de bolos, biscoitos, cheesecakes e outros doces INCRÍVEIS! Demoramos horas pra escolher o que comer, mas valeu a pena.
  • Citadella – um dos pontos mais altos da cidade e tem a vista mais incrível de todas! Fomos de tardinha, perto de escurecer. Assim pegamos as luzes da cidade já acessas, mas o dia ainda estava um pouco claro. Além das fotos, sentamos nos banquinhos por lá para admirar a beleza da cidade.
  • Gellert Baths and Spa Budapest – outra coisa muito famosa na cidade são os “banhos”. Separamos este para ir, mas estava muito frio e acabamos desistindo. Claro que tem a opção dos banhos em locais fechados (inclusive nesse Spa), mas não estávamos nesse mood, sabe? Mas fica aqui registrado pois sei que é ago bem tradicional para quem visita Budapeste.
  • Instant – terminamos o dia em mais um Ruin Bar, e esse é o maior da cidade. A indicação foi feita por um casal de italianos que mora na cidade – e que conhecemos na noite anterior – e rendeu uma noite bem divertida!

DIA #3

  • White Umbrellas Free Tour – fiz esse tour a pé guiado a primeira vez em Copenhague e achei muito interessante. Você conhece vários lugares e não tem nenhum valor estabelecido, no final você dá pro guia quanto quiser ou puder. São 3 horários diferentes por dia e o ponto de encontro é na saída do metrô “Kossuth Lajos tér”. Infelizmente não conseguimos fazer o passeio pois era de manhã e 1) acordamos tarde após a noite de domingo que rendeu! HAHA e 2) ainda tivemos que arrumar nossas coisas e fazer check out no hotel, então não deu para conciliar. Mas fica a dica!
  • Great Market Hall – mercadão central de Budapeste, no mesmo estilo do mercadão municipal em São Paulo. Só que nesse, ao invés de pastel e sanduíche de mortadela, a gente come os Sajtos, que são bolinhos de queijo (mas não se compara ao pão de queijo brazuca, já adianto! HAHA). E o nosso almoço deliciosos que foram os Lángos, que são sanduíches abertos feitos com um pão achatado e frito e cobertos do que você quiser. Eu escolhi queijo e um salami local, mas vi muita gente pedindo uns que tinham várias coisas, bem recheados! Testado e aprovado.
  • Shoes on the Danube – um memorial em homenagem aos judeus húngaros que foram executados na Segunda Guerra Mundial pelo governo fascista. São sapatos de bronze, simbolizando os sapatos que as vítimas deixavam na margem do rio antes de serem baleadas e jogadas no Danúbio. Muito comovente, tanto que muitas pessoas deixam flores e velas dentro dos sapatos.
  • Erzsébet Square – a praça que leva o nome da Imperatriz Elisabeth da Áustria (a Rainha Sisi), que morou boa parte da sua vida em Budapeste. Lá você encontra a Fonte do Danúbio (que quando fui estava vazia, que sorte haha) e uma linda área verde.

*Onde fiquei hospedada: Mamaison Hotel Andrassy Budapest – um hotel 4 estrelas muito bem localizado, com metrô 4 minutos andando, ótimo café da manhã e tudo lindo em termos de estrutura. Dava pra ir andando na Praça dos Heróis, no City Park, na Casa do Terror, em várias lojas… Ficamos super satisfeitas.

No meio dos passeios acabamos conhecendo outras coisas, como o parlamento – mostro no vlog! Mas com certeza deixou gostinho de quero mais e virou um daqueles destinos que quero voltar com certeza. Pra conhecer por exemplo a Opera (mostro por fora no vlog, é onde falo que está tendo um ballet).

Agora vamos ver tudo isso na prática? Só dá o play! 😉

Comentários